SINTFUB se reúne com a EBSERH para tratar da circular 003/17

Na última sexta-feira, dia 10 de novembro, o SINTFUB, representado pela coordenadora geral Vânia Felício, pela coordenadora administrativa Raquel Pinheiro e representante dos servidores lotados no HUB reuniu-se com a presidência da EBSERH.

A reunião com a presidência da EBSERH buscou tratar sobre a circular 003/17, que restringiu o direito de receber refeições por trabalhadores no ambiente do HUB. Até então o Hospital Universitário de Brasília fornecia alimentação para os trabalhadores que estavam em plantão, assim permitindo que prestassem seus serviços de forma ininterrupta e continua em favor dos usuários. Porém, a circular 003 de 2017, retirou o direito, dizendo que somente terão direito a refeição os trabalhadores que estejam em atendimento de pacientes em estado crítico.

Durante a reunião foi informado que seriam entregues os documentos que motivaram a edição da circular, que consistem na norma da EBSERH e recomendação do TCU. Foi informado ainda que na próxima semana acontecerá reunião conjunta no HUB para tratar do assunto e também verificar as condições do refeitório.

SINTFUB

SINTFUB realiza Assembleia Geral

Na última terça feira, dia 14 de novembro o SINTFUB realizou sua Assembleia Geral, com a participação de toda a categoria. Durante a Assembleia foram debatidas as greves nas universidades, conforme último posicionamento da plenária da Fasubra, que ocorreu no Rio de janeiro.

Além dos encaminhamentos e debates sobre temas relevantes, como sucateamento das universidades, retirada de recursos, eleições do sindicato e a MP 805, que suspende os reajustes dos servidores, foi decidido em votação pela deflagração da greve dos servidores, com assembleia marcada para o dia 21 de novembro para ratificar essa decisão.

O SINTFUB convoca todos os servidores para a participação nessa nova Assembleia. Vamos lutar até o fim por uma Universidade digna e pelos direitos de todos os trabalhadores. Nenhum direito a menos!

SINTFUB

Resultado da eleição SINTFUB 2017

Resultado final da ELEIÇÃO SINTFUB – BIÊNIO 2018-2019

clique aqui para fazer o download do resultado das eleições em pdf.

Assembleia Geral

O SINTFUB convida a todos para participarem da Assembleia Geral que será realizada amanhã, dia 14/11/2017 às 09 horas, na Praça Chico Mendes, na Universidade de Brasília.

A presença de todos é essencial.

SINTFUB

10 de novembro Dia Nacional de Paralisação

Os servidores públicos federais declararam guerra ao pacote de medidas do governo que adia reajustes salariais, eleva a contribuição previdenciária e reestrutura carreiras. Em 10 de novembro, farão um Dia Nacional de Paralisação em todo o país. A suspensão das atividades — em raro momento de união de várias categorias — foi encampada pelo Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate), que reúne servidores que recebem vencimentos mais altos, e pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe), da base da pirâmide. As duas entidades planejam entrar com ações contra o Executivo e impedir que as novas regras sejam colocadas em prática.
Na próxima terça-feira, as assessorias jurídicas das duas entidades vão se reunir às 14h para decidir as estratégias. Especialistas afirmam que a Medida Provisória nº 805/17, que adia os reajustes e eleva a contribuição, têm inúmeras irregularidades. O advogado Rudi Cassel, do escritório Cassel Ruzzarin Santos Rodrigues, se disse “impressionado” com a reedição de erros cometidos o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na Lei nº 9.783/1999. “O Supremo Tribunal Federal (STF) já deixou claro que a Constituição proíbe alíquotas progressivas de contribuição previdenciária, como essa de 11% para 14%, para quem recebe acima de R$ 5.531,31”, disse.
A postergação do reajuste também carece de segurança, já que os aumentos foram acordados entre as partes, tinham orçamento e foram aprovados pelo Congresso. “As medidas acarretarão uma enxurrada de processos e gastos adicionais. Caso o Executivo perca, vai ter que arcar com juros e correção monetária”, alertou Cassel. De acordo com Rudinei Marques, presidente do Fonacate, o servidor, em nenhum momento, se recusou a dar sua contribuição ao ajuste fiscal. “Mas diante do favorecimento de tantos setores, isso não faz sentido”, salientou Marques.
Nos cálculos das centrais, cerca de R$ 12 bilhões (em emendas parlamentares, novo Refis e anistia de parte das multas ambientais) foram negociados pelo governo — quantia suficiente para arcar com as despesas com pessoal, em 2018, de R$ 9 bilhões, segundo o próprio governo. O aumento do desconto previdenciário terá também grave impacto negativo. Vai ampliar a perda de poder aquisitivo para quase 10%, porque as carreiras de Estado teriam aumento de 27,9%, em quatro parcelas, 2016, 2017, 2018 e 2019 (5,5%, 6,99%, 6,65% e 6,31%). “Não virão os 6,65% e ainda desembolsaremos mais para a aposentadoria”, explicou Marques.
Queda de braço
Os servidores iniciarão briga ainda maior contra a reestruturação das carreiras, que estabelece salário máximo de ingresso de R$ 5,1 mil e ampliação dos níveis de progressão, dificultando a ascensão profissional. “Faremos um trabalho de assessoria parlamentar na Câmara e no Senado para tentar derrubar essa MP”, afirmou Flávio Werneck, vice-presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef). Gibran Ramos Jordão, coordenador-geral da Federação Nacional dos Trabalhadores Técnico-Administrativos das Instituições de Ensino Superior (Fasubra), contou que já se sabe que o texto da reestruturação está pronto no Planejamento e será em breve apresentado ao Congresso.
“Se não fizermos nada, os salários ficarão cada vez mais baixos, os desestímulos às carreiras serão ainda maiores e perderemos conquistas históricas”, destacou Jordão. Por isso os administrativos já decidiram entrar, a partir do dia 10, em greve por tempo indeterminado, “em defesa do serviço público”, revelou Jordão. Por meio de nota, o Planejamento informou que os temas (reestruturação) estão sendo estudados e que “se pronunciará sobre eles no momento oportuno”.
Na terça-feira, os auditores-fiscais da Receita Federal iniciaram nova paralisação em portos, aeroportos e zonas de fronteiras, até que o governo regulamente o bônus de eficiência (extra de R$ 3 mil mensais). De acordo com o Sindicato Nacional da categoria (Sindifisco), o governo descumpriu o prazo para resolver a questão, vencido em 31 de outubro.
Fonte: Correio Braziliense,  04/11/2017

Eleições SINTFUB dia 08 e 09/11/2017

Está chegando a data! O SINTFUB realizará sua eleição nos dias 08 e 09/11/2017. A participação de todos os filiados é importante.

Lembrando que a apuração será no dia 10/11/2017 a partir das 9 horas.

Acompanhe nosso site para atualizações sobre o andamento das eleições e nos siga nas redes sociais
@sintfub no Facebook
/sintfub.unb no Instagram

SINTFUB

SINTFUB realiza Assembleia Geral

O SINTFUB realizou no dia 31/10/2017 sua Assembleia Geral, onde declarou seus informes locais, informes nacionais, levantou os acontecimentos da plenária da FASUBRA, entre eles o calendário de lutas, como a paralisação nacional no dia 10.

O SINTFUB lembra que entre as definições, mantem-se a proposta de estado de greve. “A deflagração da greve não será ainda decidido, mas mantemos a proposta da assembleia passada e marcaremos nova assembleia dia 14 para sentirmos a discussão a nível nacional”.

A assembleia, que teve participação do ANDES, FASUBRA e demais grupos de representação, contou ainda com os encaminhamentos do sindicato e avaliação de conjuntura.

SINTFUB

Assembleia Geral AMANHÃ!

SINTFUB convoca a todos para Assembleia Geral que ocorrerá amanhã, dia 31/10 na praça Chico Mendes, na Universidade de Brasília, onde serão discutidos os encaminhamentos do sindicato.

Não deixem de participar!

SINTFUB

Dia do Servidor Púbico: o que comemorar?

No dia 28 de outubro é celebrado o Dia do Servidor Público, entretanto, profissionais que trabalham nas mais variadas áreas do Estado, sejam em hospitais, escolas, escritórios e demais repartições públicas não têm o que comemorar. Com a atual conjectura brasileira, o que resta ao servidor é a luta.

Instituído no governo do presidente Getúlio Vargas, a data comemorativa marca a criação das leis que regem os direitos e deveres dos servidores públicos (Decreto Lei nº 1.713/39). Direito que agora os servidores lutam para garantir. O momento é delicado, uma vez que o atual governo tem feito diversas restrições.

O governo do presidente ilegítimo de Michel Temer tem como objetivo aprofundar e acelerar o ajuste fiscal. A classe trabalhadora nunca presenciou tamanho retrocesso na retirada de direitos, com a aprovação da PEC do Fim do Mundo (EC 95/16), a ampliação da terceirização, a reforma trabalhista, a reforma do ensino, o Programa de Demissão Voluntária (PDV), a redução da jornada com redução de salários e o decreto que fortalece o trabalho escravo no país, o governo federal impõe mais sacrifícios aos trabalhadores.

O pacote de medidas anunciado nos últimos dias envolve o aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%, a reestruturação das carreiras do serviço público, contra o PL 116/17 – demissão por avaliação negativa (fim da estabilidade) destruindo conquistas e vitórias acumuladas pelos trabalhadores técnico-administrativos em educação nos últimos anos, com muitas lutas e greves. Para o  Sindicato dos Servidores da Fundação Universidade de Brasília (SINTFUB), é o retrocesso ao Brasil e principalmente à classe trabalhadora do país. “essa medida não atinge só os servidores, ela atinge todos os trabalhadores, é por isso que devemos lutar pelos nossos direitos adquiridos”.

O SINTFUB rechaça ainda que as universidades públicas brasileiras sofrem por falta de recursos, o cenário será pior, tendo em vista que não terão os recursos financeiros para investir em pesquisas e com pessoal. ”Isso na verdade é o desmonte do serviço público no país”.

Lutar pelo serviço público, principalmente saúde e educação, é um dos objetivos da diretoria do SINTFUB. Lutar principalmente pela valorização dos servidores da Fundação Universidade de Brasília e do Hospital Universitário de Brasília que, apesar de não terem o que comemorar no Dia do Servidor Público, devem ser respeitados e parabenizados pelo serviço que oferecem, mesmo com todas as dificuldades impostas pelo Poder Público.

SINTFUB

Categoria aprova deflagração da greve nacional para 10 de novembro

 

 

 

Na tarde de domingo, 22, os delegados das entidades de base da FASUBRA Sindical aprovaram em Plenária Nacional realizada no Rio de Janeiro-RJ, a deflagração da greve nacional para o dia 10 de novembro.
A maioria da Direção Nacional da FASUBRA, apontou a deflagração da greve para o dia 10 de novembro e o adiamento do congresso da Federação foi aprovada.

 

Para a FASUBRA, a classe trabalhadora nunca presenciou tamanho retrocesso na retirada de direitos. O governo do presidente ilegítimo de Michel Temer tem como objetivo aprofundar e acelerar o ajuste fiscal. Com a aprovação da PEC do Fim do Mundo (EC 95/16), a ampliação da terceirização, a reforma trabalhista, a reforma do ensino e o decreto que fortalece o trabalho escravo no país, o governo federal impõe mais sacrifícios aos trabalhadores.

 

Neste momento, Temer tem como prioridade o ataque ao funcionalismo por meio de medidas como, o Programa de Demissão Voluntária (PDV) e a redução da jornada com redução de salários.

 

De acordo com a Federação, o ataque às  universidades públicas, a exemplo da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), se aprofunda.  O pacote de medidas anunciado nos últimos dias, envolve o aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%, a reestruturação das carreiras do serviço público, destruindo conquistas e vitórias acumuladas pelos trabalhadores técnico-administrativos em educação nos últimos anos, com muitas lutas e greves.

 

A previsão de de lançamento do pacote de maldades contra o funcionalismo público via projeto de lei ou medida provisória, será após a votação da segunda denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) contra Temer, no Congresso Nacional no mês de outubro ou novembro, sem uma data definida.

 

Confira as resoluções da Plenária Nacional da FASUBRA

 

*Deflagrar a greve para o dia 10 de novembro, com possibilidade de antecipação, caso o projeto que reestrutura as carreiras seja apresentado (em forma de MP ou de projeto de Lei) antes dessa data.

 

*Construir e participar das atividades convocadas pelas centrais sindicais no dia 10 de novembro.

 

*Enviar ofício ao Ministério da Educação (MEC), informando que, em caso de qualquer ataque ao Plano de Cargos e Carreiras dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação (PCCTAE) que modifique a Lei 11.091/05, a FASUBRA vai deflagrar greve imediatamente.

 

*Realizar uma paralisação no dia 27 de outubro, Dia Nacional em Defesa dos Serviços Públicos, com ações radicalizadas.

 

*Caravana Nacional a Brasília – A direção da Fasubra vai convocar uma grande manifestação em Brasília-DF, todas as entidades de base precisam ficar em alerta. Será avaliado o melhor momento para a convocação da caravana.

 

Eixos da Greve:

Defesa da Carreira dos TAES!

Negociação Salarial Já! Nenhum direito a menos!

Contra o aumento da contribuição previdenciária! Não à Reforma da Previdência!

Revogação do PDV!

Em defesa do ensino superior público, gratuito e de qualidade!

Em defesa dos serviços públicos!

Contra o PL 116/17 – demissão por avaliação negativa (fim da estabilidade)

Em defesa dos hospitais universitários.

 

Campanhas gerais

Participar da campanha pela revogação da reforma trabalhista

Campanha contra a retirada do título de patrono da educação de Paulo Freire.

Contra a reforma da previdência

FORA TEMER!!!

 

Campanhas de esclarecimento específicas

Desmonte da carreira

Contra o Fim da estabilidade – demissão por avaliação negativa

PDV

Implicações da reforma trabalhista – terceirização nas universidades.

Em defesa da jornada de 30 horas (jornada contínua com turnos ininterruptos)

FORA TEMER!!!

 

UNB
Na UnB estamos em estado de greve e faremos um ajuste em nosso calendário, unificando esforços com o comitê em defesa da UnB. Realizaremos assembleia no próximo dia 31, as 9 horas na praça Chico Mendes, e as 18 h estaremos na reunião ampliada do comitê. Vamos juntos construir a greve e a resistência ao desmanche da universidade e da carreira.

SINTFUB